O império português desapareceu há quarenta anos, fragmentado em partes, povos e comunidades que começaram então, também no sofrimento, na incerteza e na esperança, a sua vida na História. Século e meio antes, outra parte desse império tinha-se separado, com a independência do Brasil, essa mais pacífica, feita sem a comunidade internacional. É a História acontecida, sancionada pela justiça dos factos. No mundo presente, a decadência da Europa e do Ocidente é também um facto. [...] Agora, outros continentes, outros povos, outras áreas estão a tomar as chaves e as rédeas do futuro. A maioria dos povos lusófonos estão nestas áreas e são agora, como nós fomos: povos jovens, unidos, com a fé, a vontade e a força de fazerem coisas no mundo. E alguns têm os trunfos e os meios para os desafios que aí vêm. O lugar dos portugueses que não se resignam à mediocridade mansa ou ressentida de tributários do Centro Europeu, pode também ser ao lado desses povos, erguendo a partir de um passado unido, sofrido, dividido, uma convergência futura.
11/09/2013
João Tordo viajou, na passada semana, para Shanghai, China, ao abrigo da Residência de Escritores da Shanghai Writer’s Association.
Pepetela - O Tímido e as Mulheres
Novidades
01
02
03
01
Ambas as Mãos Sobre o Corpo
02
Triunfo do Amor Português
03
Vítor Gaspar por Maria João Avillez
Notícias
11/09/2013
João Tordo em Shanghai
João Tordo viajou, na passada semana, para Shanghai, China, ao abrigo da Residência de Escritores da Shanghai Writer’s Association.
05/09/2013
Manuel Alegre em sessão de poesia na Figueira da Foz
Manuel Alegre é o convidado da 7ª Edição do ciclo “Andam Pela Terra os Poetas”, que terá lugar na próxima terça-feira, dia 10, às 21h30, no Casino da Figueira da Foz. A tertúlia, durante a qual será apresentada e abordada a obra poética do autor de Praça da Canção, por parte de José Ribeiro Ferreira, professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, contará com a moderação de Nicolau S...